História

Fundado nos anos 40 e reconhecido pela carta Sindical datado de 07 de novembro de 1941, é um dos sindicatos Farmacêuticos mais antigos do País.

Criado por profissionais que na época já vislumbravam um mercado promissor e cheio de oportunidades, principalmente por sua área de abrangência "o Estado do Amazonas", que tinha sido o mercado mundial de borracha. Essa época prometia um crescimento daquela que era apenas uma cidade no meio da Amazônia, porém fomos engolidos pela organização do mercado Asiático que hoje detém mais de 50% do mercado mundial.

O mercado Farmacêutico também crescia e lutas foram travadas, porém ao longo dos anos 40, 50, 60 e 70 a profissão padeceu pela falta de liderança para firmar o profissional nos serviços público e privado.
No inicio dos anos 80 um grupo de Farmacêuticos tomaram a iniciativa de resgatar a Carta Sindical e em busca desse objetivo, foram até Brasília – DF e conseguiram a Carta Sindical. Com o curso de Farmácia da Universidade Federal do Amazonas, sendo o único formador dos Farmacêuticos e tendo apenas o Conselho Regional de Farmácia com referencia em todas as questões éticas, disciplinares e até trabalhistas, fez com que surgissem novas lideranças.\
No período de 1989 a 1997 o Farmacêutico Dr. Marcos Antônio dos Santos resolveu entrar na luta pelos direitos básicos: VIDA DIGNA E SALÁRIO DIGNO para a classe Farmacêutica. No período em que ficou como presidente do SINFAR/AM provocou a discussão com muitos empresários e até farmacêuticos por sua postura de questionar o que estava de errado e sugerir mudanças em benefício dos Farmacêuticos. Bem sabe ele o que foram oito anos a frente de uma Entidade que ainda tentava merecer reconhecimento pelos próprios Farmacêuticos, porém obteve apoio incondicional da Federação Nacional dos Farmacêuticos – FENAFAR.

Após passar o cargo para o Farmacêutico Dr. José Maria Aquino, Presidente do SINFAR/AM no período de 1998 a 2000, este procurou manter a valorização do farmacêutico no mercado de trabalho. A gestão do Farmacêutico José Maria Aquino enfrentou grandes problemas com várias discussões com a Entidade Patronal que procurava desrespeitar o profissional, considerando apenas um simples balconista, além de ter que encarar cursos de formação de técnicos em Farmácia, que depois de formados exigiam o direito de ter a Responsabilidade Técnica, ou seja, tomar o lugar do Farmacêutico. Outro problema enfrentado foi à garantia aos colegas que o Sindicato estaria presente, porém a falta de apoio ao SINFAR/AM voltava a ter a imagem de não existente ou ser inoperante, mesmo após a denúncia feita contra o Sindicato de Fiscais da Secretária de Saúde do Estado do Amazonas pois os citados Fiscais estavam com responsabilidades técnicas, o que é proibido por Lei e que teve repercussão no principal jornal da época.
Depois desse período ocorreram alguns percalços que quase deixaram sem direção o Sindicato, porém tudo foi resolvido em uma Assembléia Geral Extraordinária que se criou uma junta governativa, 5/10/2001, Presidida pelo farmacêutico Dr. Marcelo Corrêa, que teve a finalidade de chamar outra eleição, onde foi eleita uma gestão tendo como Presidente Dr. Marcos Antônio dos Santos de 2001/2004 e novamente sem muito apoio levou uma Entidade que para muitos sem expressão, mas participando de eventos e reuniões em nível governamental garantindo dessa forma o espaço para o Farmacêutico, onde poucos sabem disso.
Logo depois, em uma eleição bem disputada, uma nova gestão foi eleita no período de 2005 a 2007 tendo como Presidente o Dr. Alysson Bastos Sena, que firmou a presença do Farmacêutico nas Discussões no Conselho Municipal de Saúde, garantido com isso a vaga pelos trabalhadores para o SINFAR/AM e nas Mesas de Negociações Permanentes do SUS tanto do Estado como do Município.
Uma nova geração de Farmacêuticos ocupou a Diretoria, tendo como Presidente o Dr. Antônio Ferreira de Oliveira Júnior, período de 2008 a 2011, onde a sede do Sindicato funcionou em sua residência na Rua Santa Isabel, 123, Centro. Nesse período, muitos Farmacêuticos começaram a apoiar a luta do SINFAR/AM, que cresceu e ganhou respeito para a garantia dos Direitos Trabalhistas da categoria Farmacêutica.

Houve eleições em março de 2011 onde concorreram duas Chapas formadas por ex-Diretores e após muitas brigas inclusive judiciais, a Chapa 1 com o slogan "CONTINUAR PARA AVANÇAR", numa eleição histórica que elegeu pela primeira vez, durante 70 anos do Sindicato, uma mulher para Presidente, tendo como objetivo o Dissídio Coletivo para garantir um salário justo aos colegas Farmacêuticos. Esta gestão eleita conseguiu uma sala onde está funcionando a sede do SINFAR/AM no horário das 9h às 12h, 14 às 17h com uma recepcionista para atender os colegas Farmacêuticos. Foi firmados Convênios com Escritório de Contabilidade, Clube AABB, Academia Athlética, Cinemais, SESC, FKJ Idiomas, Ótica São Paulo, e temos a Assessoria do Advogado Dr. Kasser Jorge Chamy Dib que ficou à disposição de todos.
Em 2014 tivemos novas Eleições e a mesma Diretoria eleita em 2011 se manteve por mais três anos. Durante esse período, das propostas de campanha das eleições, a única que não conseguimos implantar foi do Plantão Farmacêutico no Sindicato devido os membros da Diretoria trabalhar em Drogarias da rede privada e não ter tempo disponível para ficar nos Plantões no SINFAR/AM.
Tivemos em março de 2017 novas Eleições com renovação de 40% dos membros da Chapa “Continuar para Avançar”. Um Sindicato forte, independente, voltado para os Farmacêuticos, trabalhando incansavelmente pela categoria foi a nossa proposta de eleição do SINFAR-AM, no dia 14 de março de 2017. Manter nossas conquistas e avançar cada vez mais na construção de um Sindicato Unido e Atuante, representativo da Categoria será nossos principais desafios. Nossas PROPOSTAS:

1. - Representar a entidade e defender os interesses da categoria;
2. - Agregar parcerias;
3.  Participar de ações e articulações em prol do fortalecimento da classe;
4. Contribuir e buscar estruturas para o desenvolvimento de projetos em parcerias com entidades de classe;
5. Lutar pelas promoções dentro PCCS. Judicializando, caso seja necessário; As promoções não acontecem desde 2008 conforme Lei 1.222;
6.  Continuar lutando nas datas bases (abril) pelos reajustes dignos; 
7. Lutar para que a SEMSA pague as gratificações das pós graduações, Judicializando, caso seja necessário;         
8. Lutar pelas promoções dentro PCCR, na Susam. Judicializando, caso seja necessário; As promoções não acontecem desde 2012; 
9. Continuar lutando nas datas bases (Maio) pelos reajustes dignos; No estado estamos 3 anos com os salários congelados (defasagem salarial 24,5%); 
10. Lutar para que a SUSAM pague as gratificações das pós-graduações. Judicializando, caso seja necessário; Há 3 anos o governo não concede esse direito conforme Lei 3.469; 
11. Lutar para conseguir tickets alimentação para todos os Farmacêuticos e com o valor reajustado para R$ 600,00. Jurisprudência dos Policiais civis do AM; Caso necessário , judicializar o processo; 
12. Lutar contra o aumento do valor da previdência de 11% para 14%; Judicialização, caso seja necessário.
13. Criar e implantar o Sinfar jovem estimulando a formação e a participação acadêmica no movimento social e sindical e na valorização profissional, intensificando as relações do Sinfar com as Universidades, Centros Acadêmicos, Entidades de representação estudantil;
14. Fortalecer a participação do farmacêutico no controle social, em suas diversas instâncias, fomentando o debate sobre a importância dos Conselhos de Saúde entre  os integrantes da categoria;
15. Implantar o Sinfar itinerante buscando atender às demandas dos farmacêuticos no interior, identificando novas lideranças do segmento, levando informações e prestação de serviços aos diversos municípios amazonenses;
16. Ampliar os convênios do Sindicato, trazendo mais vantagens e benefícios aos filiados;
17. Articular com outras entidades farmacêuticas as bandeiras de luta da categoria para fortalecimento das ações;
18. Ampliar a inserção política do Sindicato junto à categoria, aos trabalhadores em geral e à sociedade, contribuindo para aumentar a consciência dos mesmos com relação às nossas lutas específicas e gerais;
19. Criar uma campanha de valorização profissional, intensificando o trabalho do Sindicato junto à base da categoria, enquanto essência da atividade sindical;
20. Intensificar as negociações coletivas, com ações permanentes, promovendo um fórum de debate ampliado sobre a convenção de trabalho, para que a mesma seja construída coletivamente, com a devida antecedência e envolvimento dos interessados;
21. Lutar para acrescentar benefícios às convenções coletivas de trabalho, que vão além da negociação salarial, como vale-alimentação, auxílio-creche, liberação para cursos  e outros que a categoria decidir como essenciais;
22. Criar o “momento de integração farmacêutica” – um happy hour  com evento cultural;
23. Modernizar a estrutura do Sinfar, adequando suas instalações para o melhor atendimento ao profissional e melhor desempenho de suas funções e criando espaços virtuais de debates (Assembleias, Fóruns, etc);
24. Disponibilizar a prestação de contas da entidade no site do Sinfar/Am (balancetes);
25. Estimular a participação dos farmacêuticos nos espaços políticos-profissionais;
26. Promover cursos de formação sindical;
27. Divulgar e debater com a sociedade todas as legislações do setor farmacêutico, que atinjam direta ou indiretamente seus direitos enquanto consumidores e cidadãos;
28. Realizar o II Congresso do Sinfar para debater temas importantes a respeito da profissão farmacêutica, elaborando estratégias de atuação sindical no Estado do Amazonas no campo do fortalecimento da categoria;
29. Propor, apoiar e acompanhar, em conjunto com a FENAFAR, os Projetos de Lei de interesse da categoria, dos trabalhadores em geral e da sociedade, combatendo os Projetos contrários aos interesses da sociedade, de acordo com as decisões dos fóruns deliberativos da entidade;
30. Elaborar um plano de ação específico para acompanhar as demandas dos profissionais que atuam no setor público municipal, estadual e federal;
31. Fortalecer a negociação coletiva em áreas como Indústrias Farmacêuticas, Hospitais, Laboratórios de Análises Clínicas e Transportadoras de Medicamentos;
32. Instituir a Semana de Prevenção de Acidentes do Trabalho, articulando ações conjuntas com os Centros de Referência em Saúde do Trabalhador realizando palestras e disponibilizando material informativo aos filiados;
33. Usar todos os artifícios jurídicos para extinção do Regime de Contrato Civil.
Junte-se ao SINFAR/AM e sindicalize-se para sermos mais fortes!